Assinalando os 450 anos da criação da nova paróquia de Santa Engrácia por desejo da Infanta D. Maria, a quem se deve igualmente a construção da primitiva igreja de Santa Engrácia, o Panteão Nacional inaugura no dia 10 de outubro, às 18h30 a exposição A Igreja de Santa Engrácia no Campo de Santa Clara: os tempos do lugar.

Patente até 1 de março de 2020.

A Igreja de Santa Engrácia como hoje a conhecemos, localizada no Campo de Santa Clara, é a última versão dos vários templos que desde o século XVI se erigiram naquele lugar sob a invocação da santa mártir lusitana. Tais mudanças reflectem a história do sítio e a sua evolução urbanística, feita em estreita ligação com o edifício que daria nome à freguesia, tornando-se numa marca identitária da Lisboa Oriental, com os seus contornos arquitectónicos a dominarem a iconografia do século XVII aos nossos dias.

A exposição que traça a história dos vários tempos da Igreja de Santa Engrácia, do Campo de Santa Clara e dos seus mais importantes edifícios e instituições, convidando os visitantes a acompanhar e a compreender as suas transformações ao longo dos séculos, incluirá peças originais pertencentes a alguns dos mais importantes museus, palácios e monumentos portugueses e a colecções particulares, estando patente de 10 de outubro de 2019 a 1 de março de 2020, nas salas de exposições temporárias, Coro-alto e na nave central do monumento.